Histórico | Departamentos


HISTÓRIA DA PATRONA

Nascida no Bairro da Areia alta, em 1935, no Sítio de seus pais João Paulino Marcondes e Izaura Godoy Porfírio, Tia do ex-prefeito Teodoreto Porfírio da rocha. Nascida no dia 06/10/1935, porém só foi registrada no dia 24/10/1935 na cidade de Fartura, pois o Bairro das Areias é daquele município.

A família era formada por 5 irmãos: Maria Marcondes Nunes, Alcides Marcondes, Ana Marcondes Pilege e José Paulino Marcondes. Todos estudaram até o terceiro ano primário na escola da Fazenda São Caetano no município de Timburi. Posteriormente sua família se mudou para cidade de Sarutaiá, onde concluíram o 4º. Ano primário. Vindo mais tarde, morar com sua família para Piraju.

Como sempre mostrou interesse pelo aprendizado, junto com seu irmão Jose Paulino, concluiu em 1958 o Curso comercial Básico na Escola Técnica de Comercio Rui Barbosa daquela cidade. Jose Alcântara, com quem teve 4 filhos: Pedro Alcântara Neto, Percival Alcântara, Pericles Jose Alcântara e Carmem Silvia Alcântara.

Mesmo com os filhos ainda pequenos, sempre demonstrou interesse pela leitura e pela profissão de Corte & costura. Por esse motivo fez um curso desta modalidade e começou a exercê-la e conforme foi se aprimorando, passou a dar aula dessa profissão para muitas, que hoje são costureiras da cidade de Sarutaiá.

Durante sua vida sempre falou uma frase: “O maior presente que um pai e uma mãe pode dar à seu filho é uma profissão:. Talvez por esse motivo sempre foi ligada às escolas e aos estudos, apesar de nunca ter feito uma faculdade.

Em 1969 iniciou sua carreira de funcionaria publica exercendo a função de inspetora de alunos do Ginásio Estadual Dr. Edgardo Cardoso, onde passou a conviver ao lado de muitos professores, funcionários e principalmente com os alunos da escola. Com isso pode demonstrar seu espírito amigo, bondoso e companheiro das pessoas de sua convivência.

Na sua profissão de inspetora de alunos, sempre soube mediar entre as necessidades particulares de cada um as exigências e regras da escola.

Um episódio de sua mediação que ficou marcado, é que: numa briga entre duas crianças e no calor da discussão, não se sabia qual delas teria começado a briga, sem saber a quem punir, ela amarrou uma linha de costura de meio metro entre os pulsos de cada uma, de modo que elas ficaram ligadas uma a outra durante 30 minutos, a linha de costura não poderia ser rompida durante aquele intervalo de tempo, pois se isso ocorresse os dois teriam a punição da escola. Durante este intervalo, as duas crianças passaram a fazer movimentos sincronizados para manter a linha intacta e com isso começaram a conversar e participar dos eventos do recreio juntos e assim esqueceram o motivo do atrito.

Este procedimento foi feito ate em casa com os seus filhos, e com isso, tira se uma lição, mesmo em uma situação de atrito, pode-se achar uma solução amigável.

Durante sua vida, Iracema sempre soube conciliar seu serviço na escola com o corte e costura demonstrando que mesmo naquela época a mulher poderia ter sua independência financeira, servindo assim de exemplo para realização profissional das jovens.

Porém no dia 11/11/1977 aos 42 anos ela sofreu uma derrame cerebral fulminante e assim veio a falecer, deixando de conviver conosco, mas deixando também muitas saudades e um exemplo de vida.

Por todo esse empenho no bem estar de todos e por ser uma pessoa muito prestativa, seu nome foi indicado para denominação de um Bem Publico pelo vereador Claudine Provinciata da Silva durante o mandato do Prefeito Isnar Freschi Saores, conforme a Lei 629 do dia 14 de julho de 1999 a Escola Municipal de Sarutaiá passou a ter o seu nome.

Este bem publico que todos os anos, vem preparando os futuros profissionais de nossa região, colaborando assim para que o s pais e mães preparem seus filhos com o saber.

Dados fornecidos por Pedro Alcântara neto.